31 de dez de 2014

Translação


Talvez fosse um dia especial,
Numa tarde especial,
Iluminada por um sol especial.
Mas eu apenas vago sem firmar os pensamentos.

Todos repescando esperanças, sonhos, desejos.
E eu ando na mesma pedregosa e poeirenta estrada
Onde pequenas memórias ainda sobrevivem imersas em doces aromas.
Não foi pouco sobreviver a esta volta completa do mundo...

No último sonho da última noite, estava ali:
O sonho maior. O único sonho ainda conhecido.
Impossível, irrealizável, 
Puro demais para alguém tão primitivo.

Mas o coração insiste em fazer ouvida sua voz.
Canta, chora, clama, se rebela.
E eu vou sucumbindo aos seus devaneios,
Como sempre foi e sempre será.

Que parta junto da luz do dia as expectativas quanto ao amanhã.
Naqueles dias em que não existia futuro nem passado,
Eu velejava... Uma criança mágica.
Mas partiu a infância, o tempo já ruge. Implacável. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário