1 de mar de 2016

Que onda é essa?


Somos apenas o que somos?
Sem todas as cordas, correntes, máscaras, etiquetas,
Rótulos, rotinas, ordens, bons modos...
Eu e você, quem realmente seríamos?

Afogando todos os dias pequenas claridades.
Segurando todos os dias os pés para que não dancem a canção.
Poupando o coração do sofrimento e do viver.
Caminhando no caminho conhecido para lugar nenhum.

Somos tudo o que somos?
Se eu degustasse da sua alma agora, qual seria o sabor dela?
Se você visse minha alma nua, como meus olhos,
Você a amaria ou odiaria um pouco mais?

Mas vamos com calma. Postura. Equilíbrio.
Por favor.
Que onda é essa de querer cortar os fios que sustentam a marionete?
Que onda é essa de querer se sentir vivo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário