16 de mar de 2016

Mesma velha canção


Eu vejo através dos olhos impenetráveis,
Sinto através dos sentimentos blindados;
Estou mais vivo, mais à flor da pele,
Do que a tolice dos meus atos me faz parecer estar.

Eu estou lutando...
Todos não estão?
Um final feliz;
Sem felicidade, sem final.

Mas as mesmas velhas canções voltam
Quando eu sei que tudo está prestes a partir.
Estendem minha visão sobre as brumas de um futuro cinzento.
E eu finjo não ver, eu finjo que não é verdade o que é verdade.

Porque a esperança é faminta e a única coisa ainda viva,
Então a alimento com ilusões que são pedaços de mim.
Pedaços pequenos demais para que alguém note sua falta,
Grandes o suficiente para que eu sinta a dor dos vãos no espírito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário