12 de mar de 2016

Abra tuas mãos


Ainda que o coração não seja, assim,
Tão imenso,
Abra tuas duas mãos ao recebê-lo.
Se recebê-lo...

Eu lembro dos dias de um agosto inclemente,
E de cada uma das cicatrizes,
Como filhas que eu não esperava por à luz.
O caminho até aqui foi mais longo do que parece.

Uma legião de heróis vieram ao meu socorro
Para que o peito pudesse ser completo de novo.
E agora, com o que possui de melhor e mais belo,
Se doa sem medo e sem ferimentos.

Abra tuas mãos, com felicidade, se há felicidade,
E eu saberei estar no caminho certo.
Não quero vislumbrar flores perfeitas,
Quero dedos juntos aos meus cultivando o Jardim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário