11 de dez de 2016

Supernova


Por que se recusar a ouvir o canto das estrelas
Apenas por brilharem longínquas?
Se estão muito além do toque,
Não estão tão além do que alcança a emoção.

Se visse o que há dentro,
Os antigos reinos encantados,
Repletos de jovens sonhos
E leves esperanças...

Não clamaria por heróis,
Por outra mão fria e displicente,
Que evanesce em algum ponto do caminho
Para nunca mais ser sentida.

Veria a luz intensa
De um coração em eternas chamas,
Repleto de vida e calor,
Mas entorpecido por memórias e mentiras.


Nenhum comentário:

Postar um comentário