22 de dez de 2016

Antônimo da dor


Chorei à despedida da Grande Dor.
Uma inimiga tão íntima, tão fiel.
Sempre tornando as noites mais escuras
Do que qualquer noite deveria ser.
Sempre tornando a memória
Mais reluzente do que qualquer memória deveria ser.

Chorei à chegada do Grande Bem.
Na tela fria eu via o mais doce sorriso,
O mais nítido olhar.
E quase me esqueci de como tudo...
Como tudo está em escombros lá fora
E aqui dentro.

E nesta noite a oração será pelo coração;
O esquecido em uma velha estação
Quando seu sabor começou a desaparecer.
Será pelo coração
Que agora, em não tão mais longe,
Gera sorrisos nas horas mágicas da tarde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário