29 de dez de 2016

Éden



Eu me lembro do rosto de cada anjo.
Eu me lembro do rosto de cada demônio.
Eu me lembro de cada cura e de cada cicatriz.
Mas você era o antídoto antes do veneno,
A viagem tranquila antes da grande tempestade.

Meu lúcifer particular.
Quimera de luz e sombras.
No azul celeste do seu olhar,
Eu não via... eu não via,
Ardiam as chamas do inferno.

E todas as noites chorei,
Como um deus abandonado,
Por perder sua criatura dileta.
Meu paraíso nunca foi o suficiente 
Para tão magnânima e assustadora criatura. 

Meus olhos já não te alcançam mais,
Ou minhas mãos ou meus lábios ou meus braços.
Apenas a memória é um fio eletrificado e eterno
Envolto em meu coração
Conectando-me àqueles dias em que meu Éden era apenas seu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário