26 de abr de 2016

Velhos outros passos


Três versos tão bonitos
Mergulharam na escuridão do ser,
Desapareceram na imensa noite.

Já não dói tanto tanta ausência.
A inocência e a perdição lutaram pelos velhos passos.
Agora, apenas eu traço os novos.

A tudo será dado vazão plena:
Seja farta tristeza ou pungente alegria.
Qualquer coisa sentida pela metade é uma blasfêmia.

Nos novos sonhos, velhos pecados e amores.
A santidade e animalidade.
Desperto, vejo a realidade ser o casamento dessas duas coisas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário