3 de mai de 2016

Tempo após tempo


Os anos vão nos dando histórias
E nos tirando memórias.
Mais alguém não está aqui... Foi-se.
E a rotina vai ensinando isso: despedir-se.

E amanhã recuso-me à vida imposta.
Quero chorar, tomar um café sozinho,
Ver as pessoas correndo atrás de coisas
Que um dia as deixarão para trás.

Tudo o que resta é a imensidão.
Nada, nada passou...
Lembro de todas as estrelas, ruas e aromas.
De todos os amores natimortos.

E eu me rendo,
Como as árvores, meu todo se volta em busca do céu,
Mas minhas raízes me seguram firme ao chão.
Sou um sonhador que deu errado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário