25 de mai de 2016

Poucos passos


Pequenas desilusões pontiagudas jogadas pelo caminho,
O caminho que percorrerei até o velho grande sonho.
Meus pés tremem e minhas pernas vacilam,
Mas meus olhos permanecem firmes.

Eu vejo a doce claridade não tão distante;
E já estou no primeiro passo...
As desilusões vão desaparecendo
Ao toque dos meus pés no chão.

Em meus sonhos eu danço com os fantasmas que me feriam,
Eles não têm mais o poder que eu lhes dava.
Na realidade, eu já estou no segundo passo;
A claridade, mais próxima.

E já é tão tarde demais!
A esperança desperta, sai bailando pelo jardim.
Eu sorrio.
Logo não restará mais nenhum passo a nos afastar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário