19 de fev de 2016

Senti


Eu não pensava em todas minhas derrotas
Quando o luar escorria lento pelas árvores e flores.
Não pensava em tudo o que já não pensam,
Ou em tudo aquilo que deveria ter sido até aqui.

Apenas via meus pequenos triunfos,
Meus belos e pequenos bastardos inglórios,
Nascidos de sentimentos ancestrais, irrepetíveis,
E por um rápido segundo eu quase senti orgulho.

O que fiz de toda vida que me foi dada?
Quantas vitórias reluzentes teria para por no currículo?
Em quantos lugares meu olhar pousou satisfeito?
Alguém vive o suficiente?

Mas hoje, eu que já nada sei, sorrio ao sentir que sei menos ainda.
E dos olhos escorrem algo como uma absolvição.
Hoje não espero pelo amor, pois talvez eu seja o amor.
Não sei o que deveria ter feito. Sei o que fiz:
Eu senti. E sinto muito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário