25 de fev de 2016

Frágil?


Eu lembro de um tempo,
Antes do fim dos tempos.
Mesmo após o grande fim,
De todas perdas aceitas,
Havia um sol se ponto distante
E uma canção 
Que nunca silenciava.
Eu lembro de um tempo de sorrir para as estrelas.
O medo não contaminava cada esperança,
E tudo parecia que poderia ficar bem,
Mesmo que nunca realmente ficasse.
Eu lembro de uma oração
Que não se perdia em meio aos pesadelos.
Qual voz que você ouve agora?
Que imagem você vê?
Meus olhos parecem implorar sua misericórdia?
Alguém entendeu bem o que foi dito?

Já não me preocupa ou não reconhecer o que vejo no reflexo.
A deterioração mais intensa foi profunda e invisível.
Alguém está pronto para ver o mundo sem a lente
De qualquer ínfima ilusão?
Fui traído pelos sonhos, pelos anos, pelas palavras, pelos olhares...
E quem não foi?

Nenhum comentário:

Postar um comentário