16 de ago de 2016

"Havoc"



Sempre que eu pouso os olhos cerrados
Numa paz quase invejável;
Sempre que eu digo que estou forte o bastante
Para simplesmente não ter mais fé;

Você é o fantasma no quarto.
Você me arrasta para as memórias
Feitas de açúcar que construímos.
Mas agora está sempre chovendo...

Eu estou todo encharcado de coisas mortas e brilhantes.
Em algum lugar, de alguma forma você está vivo,
Mas também está morto;
Essa maldita ironia dos eternos finais.

Nesta noite, eu amo de novo.
Sou humano de novo e tenho saudade mais uma vez.
Mas junto do sol amanhã, com as ruas secas,
Nascerá a realidade, você será novamente apenas uma mentira.

‪#‎penumbra‬

Nenhum comentário:

Postar um comentário