7 de ago de 2016

Engrenagem


Desperte. Suspire. Caminhe. Bom dia. Café. Tudo bem?
E o fim de semana? Sabe como é, descansei.
As coisas andam paradas. E o coração.
Anda parando também.
Horário. Chefe olhando o relógio. Fim do café.
Meu Deus, deve ser bonito algum lugar longe daqui.
Ele não respondeu. Deve estar ocupado.
Família. Obrigação. Protocolo. Rotina.
Devia ter dormido mais cedo. O dia não parece longo demais?
Luz artificial. Prateleiras cheias. Mentes vazias.
Comer. Rezar. Amar. Parece mentira. Vai que não é.
Acredita em carma?
Metade do mundo vai pro inferno pros hindus.
Pros católicos. Pros protestantes.
Haja inferno. O paraíso deve ser um tédio.
Não sente vontade de fugir antes que seja tarde?
De sair gritando socorro nas ruas?
Nem dá. Polícia. Opressão.
Puta burocracia pra alimentar os porcos gordos.
A gente se vira como pode.
Viu o preço do feijão? Quem ainda escreve poesias de amor?
Quem ainda as recebe?
Ingratidão. As pessoas dão é medo.
Está todo mundo perdido mesmo.
Nunca pensei que o fim dos tempos seria tão longo.
Mas ainda sorriem. Alguém deve ter esperança.
Eu te amo.
Estamos atrasados.

#penumbra

Nenhum comentário:

Postar um comentário