25 de jun de 2016

"MICROCOSMO"


Por que?
Porque sentimos, porque algo nos encanta, nos dói, nos alcança.
Porque é nisso que reside nossa humanidade: no comover-se.
Por isso as canções, os poemas, os sorrisos, as lágrimas, as saudades, os sonhos ao meio dia.
Por isso mais palavras, mais versos, outros amores, outros adeuses.
Porque eu sinto. Porque nós sentimos.
Dançamos nas noites frias quando a esperança parece ter ido embora por completo; choramos de medo de algo Belo demais.
Crianças tolas, indefesas, complexas, escravas dos próprios desejos, todos nós.
Microcosmos inexplorados, colidindo-se num universo magnífico e assustador.
Pequenos mundos inacabados, repletos de santidade, pureza, dúvida e monstruosidade.
Universos inteiros onde bailam elegantemente luzes e trevas.
E eu abro as portas, os poros, o sorriso, o espírito e todas suas cicatrizes mais uma vez.
E eu convido abrir portas, poros, sorrisos, cicatrizes.
Porque sentimos.
Sentimos muito, e não estamos nos desculpando por isso.

Em breve meu novo livro: ‪#‎Microcosmo‬

Nenhum comentário:

Postar um comentário