8 de jun de 2016

Eu sigo


Todas as futuras histórias cheiram como as velhas.
Novas claridades embelezando antigas ilusões.
E eu ouço a voz dos adeuses antes de qualquer palavra vibrar.

Eu leio os sinais no silêncio e na escuridão.
Prevejo as tempestades escondidas nas calmarias.
Sinto a dor antes do golpe.

Mas agora eu vejo o que é precioso.
O que nunca foi tomado ou partido.
E ainda levanto a cabeça ao chamado da esperança.

O amor é uma lenda antiga que canto aos meus ouvidos.
Uma lenda sem provas de que existiu ou existirá.
Mas ainda, uma canção tão bonita...

Agora sei que o caminho para o paraíso 
Transpassa tempos percorrendo o inferno.
Eu sigo.
A profunda essência nunca se perderá.


Nenhum comentário:

Postar um comentário