2 de nov de 2015

Assimetria


Seja mais uma vez a besta inócua
A carregar sentimentos imensos,
Mortos, dilacerados; coração.

Contemple imóvel e silencioso
As maravilhas terríveis do teu reflexo.
Cabe em ti todo o inferno e todo o paraíso.

Não está para anjo ou demônio,
Mas para o limiar suave que separa
O amor do horror.

Deslumbra-te com teu gozo e teu tormento.
Entrega-te às forças assimétricas da natureza,
Ainda que teu amor seja uma pérola perfeita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário