12 de mar de 2015

Irmãos


Em uma coisa somos todos irmãos: na dor.
A miséria que afronta o gênio, sugando-lhe o tutano da vida, 
É a mesma que suga o meu.
Somos iguais no vazio que fica.

Em uma coisa somos todos irmãos: na utopia.
O combustível que move a máquina da alma dos santos
É o mesmo que move a minha.
Somos iguais na necessidade do Amor.

Em uma coisa somos todos irmãos: no cárcere.
A carne que enclausura meu espírito pobre
É a mesma que já enclausurou aqueles que hoje são anjos.
Somos iguais na sede pela Liberdade. 

Em uma coisa não somos todos irmãos: no sentir.
Aquilo que meu coração abraça, talvez nenhum outro abrace.
Nunca parece ser o mesmo o brilho nos olhos.
Somos tão desiguais nos sentimentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário