17 de jul de 2015

Livros em promoção!


A poesia sempre foi a materialização dos sentimentos e sensações extraídos do meu mundo externo e interno. É o transbordar. Aquilo que não cabe mais apenas dentro da alma torna-se sentimento em palavra.

"EM MEU JARDIM SECRETO..." (2010) foi meu primeiro trabalho. Nas prosas-poéticas do livro, o eu-lírico é um Jardineiro, cultivador de si mesmo. Um Jardineiro descobridor de terras férteis e terras estéreis dentro da própria alma.

"ALMA À TONA" (2012) é a emersão, o amadurecimento. É o olhar de frente para si e para o mundo, extraindo desses fatos e ralações a poesia que em tudo reside.

"MAIS DE MIL PALAVRAS - A POESIA DA IMAGEM" (2012) figura-se na necessidade de dar cor e forma aos sentimentos. É um livro poético-fotográfico.

"NUVENS DE JANEIRO" (2013) é a expressão metafórica da força e da suavidade. Nuvens são calmas, brancas, pacíficas; ou ameaçadoras, perigosas, destruidoras. As poesias desse livro trazem essa leveza e esse peso de sentimentos.

"CHIAROSCURO" (2014) é ao mesmo tempo uma coletânea e uma ode ao amor.
Ao passar dos anos notei como a escrita ganhou corpo e personalidades mais consistente. A vida, esse misto de dor e prazer, luz e escuridão, é retratada nessas páginas sob a perspectiva da dualidade que a mesma apresenta em todas suas peculiaridades. "Chiaroscuro" traz os poemas que julgo mais relevantes das obras "Alma à tona", "Mais de mil palavras" e "Nuvens de Janeiro", além de dezenas de novos poemas. Este trabalho deve ser visto como um retrato, um quadro, uma imagem, regada a claridades e escuridões.

"EX-VOTO" (2014) foi o livro de poemas que escrevi com a maior intensidade que havia na alma. O livro marca a trajetória de um coração que encontra seu sonho maior, o Amor, e dele é obrigado a se despedir. Contudo, não apenas isso. Os poemas emanam a busca pelo divino, pela fé e os mistérios que a vida nos faz suportar a todo momento. Todo ex-voto é uma prova de superação, uma prova de que a pior fase da Dor passou. 

"TEMPOS INVERSOS" (2015) é o caminho que se segue após a Grande Dor de "Ex-voto", é o sobreviver após o "apocalipse", encontrar o que ainda resta de divino nos escombros de uma realidade seca e não alentadora; porém, aquilo que é a cerne da alma continua vivo, pulsante: O Amor ainda é a seiva que nutre seu âmago, e seu âmago resiste. Muitos poemas são áridos, como o inverno, mas esperançosos de uma nova primavera. O Tempo já não faz sentido, nem impõe suas regras; passado muito ou pouco dele, tudo é medido pela intensidade das emoções.

Aos que desejam um mergulho, ou melhor, uma emersão no universo da poesia e do sentimento, fica aqui meu convite: http://migre.me/qNZb2

Nenhum comentário:

Postar um comentário