26 de fev de 2015

Caçador de pôr do sol



A imensa luz não verá o medo que envenena este olhar.
Apenas o sentimento maior pode salvar verdadeiramente.
Apenas o sentimento maior pode ferir profundamente.

Eu continuarei perseguindo o sol que se põe,
Aquela luz que me guia e que talvez nunca se aproxime.
Todo mundo busca algo...

Sei que este sol ameaça mergulhar rápido demais no horizonte esverdeado.
Sei que após a inevitável queda
a voz embargada não dirá coisas sãs sobre o que os olhos turvados presenciaram. 

Quando tudo for novamente apenas macia e silenciosa escuridão,
o espírito não se aconchegará em memórias puídas,
mas voltará a brincar como menino em campos amarelados de sonho.

Se a esperança se perde em alturas imensas em busca do astro rei,
A razão dança delicadamente no chão estéril já bem batido.
Em sua aparente infantilidade, a alma capta a aproximação de todo temporal.

Preparo-me para a despedida da luminosidade e a aproximação das nuvens.
Será apenas a chuva novamente a desejar banhar tudo o que em mim há.
Apenas a chuva novamente, a banhar todos os labirintos do coração.






Nenhum comentário:

Postar um comentário