30 de out de 2013

Chegou o momento



Chegou o momento de ouvir todas aquelas canções de despedida.
As canções doloridas de adeus.
Chegou aquele momento de dizer: "Dói tanto... mas ficará tudo bem, um dia.".
Chegou o momento de lembrar que o para sempre, sempre acaba.

Os curativos necessários eram tão pequenos.
Os cortes eram tão rasos.
As fraturas, apenas trincos ínfimos.
Mas chegou o momento... E nós somos fracos demais perante ele.

O amor às minhas flores não impede que murchem e morram...
Porém, como é possível carregar o amor; um amor maior que o peito;
Mas não saber amar?
Bem que tudo poderia ser apenas um sonho ruim, outra vez.

Mas chegou o momento de guardar o porta-retrato,
Minimizar os focos de memória,
Não esperar mais sua ligação na hora marcada,
Não dizer mais as mesmas palavras ensaiadas, necessárias, pouco sinceras.

Chegou o momento de reconhecer que não nos conhecemos de fato,
Reconhecer que tememos um ao outro e tememos a nós mesmos.
Chegou o momento de tirar do campo de visão sua toalha de banho,
Chegou o momento de tirar sua escova de dentes do lado da minha.

Chegou o momento de assumir a culpa que cabe a cada um.
Chegou o momento de olhar outros olhos e outros corpos buscando algo que não será mais encontrado.
Chegou o momento de perder toda fé e toda esperança.
Chegou o momento de reencontrar toda fé e toda esperança.

Não perdemos nosso amor, 
não perdemos um ao outro,
Nos perdemos de nós mesmos...
Então chegou o momento do fim.


Nenhum comentário:

Postar um comentário