3 de jan de 2016

Tentativa


Parece ser o fim de toda batalha assim:
Chove mansamente.
O sangue derramado dissolve-se na terra.
O presente vence o passado,
E será vencido pelo futuro.

Como a lenta chuva, duas lágrimas escorreram
De lados opostos da face.
Alívio, derrota, fim.
Pelo que ainda chorar?
Não apenas uma batalha, a guerra acabou.

Há o silêncio.
Nada mais a ser dito,
Nenhum ouvido a ouvir, tampouco.
Talvez tenha tentado amar
Com a mesma força que agora tento esquecer meu amor.

Estaria ainda sendo branda a reação do destino,
Em virtude dos meus tantos pecados?
A água fria ainda escorre, tristemente.
Olho para a dolorida cicatriz...
Já nenhuma flor nascerá em meus vazios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário