10 de jan de 2016

Para o seu bem


Eu vou embora;
Depois da paixão atingir o ápice
De eu confundi-la com o amor,
E deixar de queimar;
Como a palha de um canavial,
Em imensas e rápidas labaredas;
Eu irei embora.
Mas será para o seu bem.

Eu vou desistir
De todos os sonhos,
Construídos em tudo e em qualquer lugar.
Esquecerei tão bem dos planos e conquistas;
E você,
Que que eu dizia ser a parte mais bela da minha vida, carne e espírito,
Será também esquecido.
Mas será para o seu bem.

Eu vou manter silêncio,
Tão profundo e dolorido,
Que as tão belas horas sem fim
De palavras e sorrisos parecerão
Uma bobagem da memória.
Uma bagagem pesada de coisas inexistes.
E talvez a indiferença mate aquilo que todos chamam de Amor.
Mas será para o seu bem.

Será para o seu bem
Reconstruir um velho e despedaçado coração no mundo real.
Será para o seu bem
A passagem dos sonhos para a insípida realidade.
Será para o seu bem
Entender que foi uma grande tentativa, mas nada permanece.
Será para o seu maldito bem
Todas as minhas mentiras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário