5 de out de 2012

Danço com minha noite


Os acordes entram; adagas afiadas.
Uma dor deslumbrante.
Não chorarei, não é tão grave, não dói tanto...
É apenas o coração endurecendo.
Apenas uma ligação não atendida.

A noite ameaça, seduz, sorri, perfuma.
A noite de uma primavera meretriz.
Você sorrindo, olhando para tão longe de mim.

Eu tão errado, eu tão errado.
Visto minhas melhores roupas, mas você não virá.

Mas a noite veio e ela dança comigo.
Enlaça suas pernas em mim, gira, olha em meus olhos.
Já não resisto, cantamos então a mesma canção.
Ando pelas ruas repletas de gentes vazias.
Ando pelos caminhos tão secos.
Mas a chuva foi há pouco, tão pouco...

Eu não te disse que quando acordo com medo é tua voz que busco.
Antes de minhas orações. Antes dos meus anjos.
É você que busto.
Eu não te disse que minha dores não são mais palavras,
São pedras que se acumulam, formando barragem
Para os meus sentimentos mais belos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário