29 de mar de 2013

Oceano particular


Se eu tivesse seguido os conselhos que dei, a dor não estaria aqui agora.
Se eu tivesse respeitado e permitido que permanecem aqui meus sonhos simples, eu estaria sorrindo agora.
Se eu não tivesse passado tanto tempo preocupado em ser melhor que algo, meus cabelos não estariam caindo agora.

Adiarei mais uma vez a visita ao mar.
Adiarei mais uma vez aquela ligação.
Adiarei mais uma vez o olhar nos olhos.

E eu que sempre precisei, desejei, ansiei estar imobilizado por um abraço...
Agora apenas nado lentamente para cada vez mais longe no meu oceano particular.
E quanto mais silêncio, melhor.
Quase dá medo de não saber mais voltar.

Mas sinto falta dos meus olhos, meus olhos que o sal desta água queimaram.
Sinto falta da minha pele macia e sensível ao toque.
Sinto falta de ouvir meu nome sendo chamado.
Sinto falta de sentir falta.

2 comentários:

  1. Sinto falta de textos como este teu... Adorei conhecer.
    Volto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Laisa, com certeza é motivador receber um comentário como o seu. Abraços!

      Excluir