13 de mai de 2012

Mais de mil palavras... e adeus


Bem, às vezes nos surpreendemos desistindo de coisas que pensávamos que nunca viveríamos sem, e também, às vezes nos vemos diante de milagres que não julgávamos possíveis.
Nunca pensei que conseguiria mesmo lançar um livro; esse sonho acalentado por anos e anos, cadernos e mais cadernos de rascunhos. Enfim, em 2010 tomei força e consegui lançar "Em meu Jardim Secreto...". Deus sabe quais foram as dificuldades e alegrias relacionadas a esse projeto. Ele me fez sentir vivo, e sou muito grato a tudo e a todos que ele envolveu. Pouco mais de um ano depois nasceu "Alma à tona", com a mesma importância. "Alma à tona" é mais centrado, direto e simples, mais maduro até eu diria. Esses dois trabalhos são como filhos pra mim, não perfeitos, mas muito amados.
Enfim, agora anuncio meu terceiro trabalho, que na verdade era a minha ideia inicial em se tratando de poesia. Eu sempre gostei e precisei me expressar através da fotografia, era como dar forma física a determinados sentimentos. Então minha primeira ideia sempre foi lançar um livro de poesias com uma fotografia que correspondesse a cada uma, mas como esse projeto extrapolaria muito o valor de um livro convencional, decidi engavetá-lo na mente e deixar para um "depois, quem sabe". Na semana passada, essa ideia resolveu tomar sol. Ela começou a crescer, crescer até que, em menos de uma semana eu estava com tudo pronto para um novo livro, bem mais modesto, claro, mas não menos importante. O livro de chama "Mais de mil palavras: a poesia da imagem" e tem 40 páginas entre poesias e fotografias que fiz em diferentes épocas. Depois que terminei esse projeto e coloquei à venda no site (http://www.clubedeautores.com.br/book/128722--Mais_de_mil_palavras), não senti o vazio costumeiro ou "depressão pós parto" como costumo brincar. Senti que havia completado uma fase. Fiz o que sinto que poderia ter feito na poesia. Por isso esse trabalho foi como um epílogo de uma longa aventura. Não sei se conseguirei continuar escrevendo, confesso que a realidade me abraçou de uma tal forma que já não sou tão sensível a certas coisas como já fui. Espero, sinceramente, que um dia isso passe, e eu possa novamente ser tão aberto quanto fui.
"Mais de mil palavras" é então meu "adeus", ou meu" até algum dia", nesse sentido.
Espero que ele "cresça" e toque as pessoas que o desejarem.
Abraços 

Nenhum comentário:

Postar um comentário